domingo, 23 de abril de 2017

Sexo frágil? Me respeita!!!

Betty Drapper em Mad Men:
série que se passa nos anos 60/70
Tem uma coisa que eu sempre comento com as pessoas ao meu redor: "Adoraria viver nos anos 60, trabalhar só meio expediente, cuidar dos meus filhos (que não tenho), cuidar da casa, e receber meu marido à noite com jantar de carne assada e batatas coradas (que não sei fazer)". Aí você me pergunta: "É sério isso?", e eu te respondo: "Sim, é seríssimo!" -pasme!

Vou me explicar: não sou machista, mas também não sou feminista. Aliás, nunca queimaria sutiãs porque acho uma peça muito bonita do vestuário feminino pra ser queimada por aí (principalmente se for de renda, isso seria um mega crime). Não luto por direitos iguais, prefiro lutar por direitos humanos. Compliquei, né? Vou exemplificar.

Até que tem uns sutíãs que
mereciam ser queimados, né? ;P

Exemplo 1: Há uns meses, saiu uma matéria sobre Marcela Temer (primeira-dama, esposa do Presidente Michel Temer - não vou entrar aqui em méritos ou discussões políticas, pois isso é totalmente irrelevante pra essa conversa). Bem, na matéria de capa, o título era "Bela, recatada e do lar", e isso geral revolta nacional. Ai gente, que mundo chato esse no qual vivemos, viu? Sinceramente não vi nada demais na publicação, e nem no título. Se fosse "Independente, empresária e do mundo", a matéria receberia críticas também. "Plastificada, depravada e do bar" também... Portanto, esse mundo tá numa defensiva eterna, onde qualquer coisa que se fale ou se publique gera críticas e mimimi! Tudo tem que ser politicamente correto, não pode ser contra nada, e nem muito a favor de ninguém. Deixa a moça, que é linda, que é puritana e caseira. Se eu fosse capa da matéria com certeza a manchete não seria essa, acho que ficaria mais para "Desbocada, chata e da Netflix"...
Marcela Temer: bora combinar que bela ela é, né?

Exemplo 2: Recentemente no Big Brother Brasil, teve um caso de violência contra a mulher (se não soube do caso, clica aqui). Um cara otário usava-se de ameaças verbais contra a menina que estava ficando com ele na casa; chegou inclusive a apertar o braço dela e esfregar o dedo na cara dela. Não assisto mais BBB há umas 10 edições, mas esse caso virou manchete e caso de polícia: ele foi expulso da casa e vai responder a um processo sobre o caso na Delegacia da Mulher. 
Marcos esfregando o dedo em Emilly no BBB17
Onde está o erro? Palmas pra Delegacia da Mulher que interveio em favor da menina. Isso foi certo, claro! O erro está em ter sido um crime contra A MULHER. Isso sim está errado! Não era pra ser visto assim, e sim como uma agressão A UMA PESSOA! Gente, bora pensar: se fosse o contrário e ela tivesse feito tudo isso contra ele, seria aceitável? Se ele tivesse feito tudo isso contra outro homem, seria aceitável? Claaaro que não! É isso que eu acho errado: tem mulher que luta pra ter direitos iguais, mas aí vem com toda uma coisa de ser o "sexo frágil". Somos mais frágeis sim! Mas não acho que só nós, mulheres, devemos ter direitos à defesa. Acho que uma punição deveria ser dada independente de sexo, raça, religião, opção sexual.... o respeito ao próximo independe disso, e deve ser direito de todos, absolutamente TODOS!

Já fui desrespeitada na minha profissão, por imbecis machistas, pelo simples fato de ser mulher (sou arquiteta e na construção civil às vezes o machismo impera), e sei o quanto é frustante não poder fazer nada, o medo angustiante e a raiva. Isso dá ódio: alguém me desrespeitar pelo simples fato de eu ser mulher! Foi uma das vezes que mais senti ódio na vida, mas tive que enfrentar porque não quero ser uma mulher frágil, quero ser uma mulher que enfrenta sozinha seus obstáculos.

Eu poderia dar muitos outros exemplos, mas aí esse Post ficaria maior ainda, e com certeza ninguém teria paciência de ler. Mas enfim, a mensagem que eu queria passar era apenas a de que os direitos devem ser pra todos, e os deveres idem. Todos devem ser respeitados, e todos devem respeitar. Não é por ser mulher que mereço mais respeito do que um homem, e não é porque sou mulher que tenho o direito de bater num homem.


Ah! Antes que alguém questione: sou contra, e radicalmente contra mesmo, isso de que todo "homem trai por causa dos hormônios", de que "homem trai porque precisa", e todas essas baboseiras que as pessoas teimam em vomitar por aí pra justificar a cachorrada masculina. Só pra deixar claro: se o homem traiu, é porque não gosta da outra pessoa ou porque não vale nada. E ponto final!


Isso nunca será certo, nem quando é fofo!


Tá me chamando de goooooorda!?!?!

Minha foto

Sou uma arquiteta metida a programadora visual, fotógrafa e conselheira amorosa. Filha única, cresci sendo amiga de muitos meninos, que eram como meus irmãos. Isso me fez ver a mente masculina de uma forma um pouco diferente...