quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Um tapete voador, por favor

Oi pessoal! Imagino que a maioria deve estar numa mega ressaca pós carnaval, né? Eu estou tranquila, minha folia foi em casa com meu controle remoto... sou do tipo que AMA carnaval! Bem , que AMA o feriado do carnaval :)



Mas enfim, precisava postar aqui sobre um acontecimento ocorrido nesse carnaval. Não sei se todos viram (provavelmente a maioria estava mito embriagada pra ver kkkk), mas teve um casal em BH que saiu fantasiado de Aladim e Princesa, e fantasiaram seu filhinho de Abu (macaquinho e melhor amigo de Aladim). Pois bem, essa foto deu muito o que falar. Foi gente defendendo o menino, dizendo que isso era preconceito, racismo, que estavam comparando o menino a um macaco..., encheu as redes sociais de puro preconceito e críticas.

Pois bem, eu precisava expor minha opinião, e eu só tenho uma coisa a dizer: que mundo chato é esse que a gente vive? Esse casal adotou esse menino, que estava feliz da vida em participar do carnaval junto com os pais, que por sua vez estavam orgulhosos de estarem todos fantasiados e juntos. Óooooooobvio que em nenhum momento o casal teve intenção de fazer algo pra prejudicar o próprio filho! Que mundo chato!!!! Não se pode fazer nada que sempre vem alguém cheio de mimimi querendo usar direitos humanos e ética pra recriminar alguma coisa. Deve existir ética sim, pra várias outras coisas, mas me desculpem que nesse caso não precisa (pra político corrupto é que ética não existe mesmo, né?).

Acho que existe muito racismo sim, do mesmo jeito que ainda existe muito preconceito com tantas outras coisas que não ficam dentro daquele convencional: gays, gordos, gagos..... E o mundo é assim, e desde a infância já existe bullying, porque o ser humano pode ser cruel desde pequeno. E quando está tudo dentro de uma "normalidade", ainda vão encontrar alguma coisa pra falar: seja o tamanho do peito, o tipo de tênis, o aparelho nos dentes, o nome da pessoa.... 



Mas esse caso de BH não mostra nenhum preconceito, muito menos racismo. Imagino como esses pais devem estar arrependidos de ter usado essa fantasia. Engraçado que o racismo veio exatamente das pessoas que viram maldade nisso, acusando os pais de racismo. Pois é, a maldade está nos olhos de quem vê e aponta. Sempre assim. Mundo chato, dá nem pra brincar mais..... Será que tem vaga no tapete voador pra eu fugir pra bem longe daqui?





E a resposta do pai, Fernando Bustamante, ao caso:

"Amigos de facebook... jamais imaginava tamanha repercussão 
diante das fantasias escolhidas para o Carnaval ontem. 
Peço que compartilhem a mensagem a seguir em todas as páginas 
que publicaram uma mensagem tão descontextualizada da realidade. 
Realmente o meu filho Mateus vai me ensinar muito como nos 
blindarmos do preconceito na cabeça das pessoas. 
Sou artista, de teatro, e sempre acreditei na diversidade, na igualdade entre as pessoas. 
Luto por isso e aplico isso na minha vida pessoal e profissional. 
Sou casado e o Mateus é o meu primeiro filho (já estamos novamente na 
fila da adoção porque ele está ansioso por um irmãozinho do coração). 
Gostaria de pedir desculpas para aqueles que sentiram ofendidos 
com a nossa fantasia Jamais foi a nossa intenção. 
Peço que leiam a postagem do meu amigo Joubert Oliveira,que é 
testemunha da minha trajetória como artista e pai. 
Somos uma família muito feliz e me sinto cada vez mais humano 
compartilhando a vida com o pequeno Mateus. 
Hoje ele desfilou de Pequeno Príncipe e vou aproveitar uma frase desse 
personagem para expressar o meu sentimento ao ver essa postagem nesse fim de tarde : 
"Só se vê de verdade com o coração... o essencial é invisível aos olhos!" 
Muitos podem ver um macaco na fantasia de ontem. 
Eu vejo o melhor amigo do Aladdin, que vai conhecer o Mundo Ideal com ele e a Jasmine. 
Sem preconceitos e com muito, mas muito amor. 
Viva a diversidade! Em busca de um mundo ideal ‪#‎ummundoideal‬"

E vocês, o que acham?

Beijos, beijos, beijos! 


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Deixem o sutiã em paz!!!

Outro dia estava almoçando com umas amigas minhas, e aí vem sempre aquele assunto de "Menina, tô morta..."; "Rapaz, que semana de corno"; "Ai....não vejo a hora de dormir o final de semana inteiro"... Lamentações de uma sexta-feira numa semana atribulada, sabem? Aí papo vai, papo vem, e chegamos a uma conclusão:

Pra quê inventaram de queimar os malditos sutiãs?????


Pois bem, explicando: há alguns anos atrás, nós mulheres não tínhamos direito a quase nada. Nossa função era basicamente servir ao marido e cuidar da casa e dos filhos. Aí vieram mulheres vanguardistas e libertadoras dessa opressão, queimaram uns sutiãs em praça pública, e depois de um tempo já podemos votar, trabalhar, ser até presidAntas (hehehe).

Mas aí a mulher, coitada, ficou cheia de obrigações: tem que cuidar da casa, cuidar dos filhos, dar atenção pro marido, trabalhar fora.... Aí chega a sexta-feira e fica tudim assim: mooorta! 

Ok, foi tudo muito válido e louvável, os direitos conquistados são maravilhosos, e alcançamos o poder da independência. Mas todo bônus tem um ônus.....

Com toda essa coisa de direitos iguais, as mulheres trabalham tanto quanto os homens, e a renda delas é cada vez mais essencial nas casas. Duvido que nunca nenhuma mulher tenha desejado, mesmo que só por um diazinho, voltar a ser aquela boa e velha Amélia do lar.... Imagina aí, passar o dia cuidando da casa, deixando tudo limpinho e cheiroso, cozinhar aquela comidinha caseira, criar os filhos de perto e ajudá-los na lição de casa.... Tem muito benefício nisso, né? Não estou levantando nenhuma bandeira machista, que fique bem claro, gente!

Expectativa: ser a Amélia perfeita como
Betty da série Mad Men na década de 60
Casei há pouco mais de 1 ano, e em novembro passado tirei 1 semana de férias pra "descansar" em casa, sem viajar. Meu marido continuou trabalhando normal. Daí pensei: "oba! 1 semana sem fazer nada, vou dormir até tarde, ver todas as minhas séries no Netflix, passear no shopping, fazer hidratação no cabelo, etc..." Ou seja, zilhões de planos! Essa era minha expectativa. Minha realidade?
Acordei cedo todos os dias, arrumei casa, fiz feira, fiz almoço diariamente (comida saudável), arrumei armário..... e 0% Netflix, 0% dondoquice, 0% descansar. Conclusão: ser Amélia dá uma canseira!...
 
Realidade....

Pois bem, as mulheres hoje estão muito bem com tudo isso. Infelizmente têm que contratar pessoas pra cuidar dos seus filhos, e essas pessoas deixam de estar com seus filhos... Mulheres hoje racham as contas, fazem turnos no trabalho, na casa, votam.... E o cavalheirismo? Na maioria dos casos, foi pro beleléu. Mas homens, um recado: mulher pode ser independente, ter carreira e dinheiro, mas todas adoram ser tratadas como princesas e com delicadeza e cavalheirismo, porque os tempos podem ser modernos, mas as mulheres serão sempre....mulheres.

Tá me chamando de goooooorda!?!?!

Minha foto

Sou uma arquiteta metida a programadora visual, fotógrafa e conselheira amorosa. Filha única, cresci sendo amiga de muitos meninos, que eram como meus irmãos. Isso me fez ver a mente masculina de uma forma um pouco diferente...