segunda-feira, 29 de abril de 2013

E essa eterna insatisfação?

Hoje escutei uma história que tinha que dividir com vocês: uma amiga minha que tem sobrinhas gêmeas (bivitelinas, ou seja, diferentes), me contou que uma delas tem o cabelo bem lisinho, e a outra cacheado. Mesmo com apenas 4 aninhos, elas já sabem o que é estar insatisfeito com o que a natureza nos deu: a que tem o cabelo liso queria ter cachinhos, e a que tem os cachinhos queria ter liso. Fiquei passada com isso, pois parece que essa insatisfação independe de cultura e idade. Não sou mãe, e tenho pouquíssimo contato com criancinhas, mas acredito eu que criancinhas não têm certos vícios que nós, adultos, já temos. Será que essa insatisfação é antropológica? Será que já nascemos com o karma de sermos insatisfeitos com aquilo que temos naturalmente???


Gisele Bündchen e sua irmã gêmea: digo logo que
se eu fosse a irmã, ía morrer de inveja da minha TOP irmã!

Inveja? Mau olhado?
Seivas de Alfazema cura! 

Se eu fosse levar esse assunto pra terapia, acho que seria abordado que todos nós, seres humanos, sempre estamos buscando a perfeição, e portanto nunca estaremos contentes com aquilo que temos, porque sempre vamos querer mais e mais. 

Um exemplo: digamos que a pessoa ganhe um salário x, e tenha como meta ganhar 2x. Daí ela trabalha, trabalha e trabalha, e chega ao tão sonhado 2x, e aos poucos vai realizando os ideais que ela tanto almejava, e obviamente melhora o padrão de vida. Portanto, esse 2x que antes a faria tão feliz e realizada, vai ficar pouco, pois as exigências e necessidades foram mudadas, e ela vai sonhar com 3x, 4x, e por aí vai. Concordam que é bem assim?

Seria tão mais simples se conseguíssemos ser felizes com exatamente aquilo que temos, né? O mundo seria tão mais simples, sem inveja, sem ganância, porque estaríamos conformados com aquilo que temos. Mas aí vem o perigo: até onde esse conformismo é bom? A insatisfação com o que temos acaba nos dando mais ânimo pra buscar aquilo que ainda não temos, seja isso um emprego melhor, ou uma barriga tanquinho; o problema é quando essa vontade de buscar os sonhos vira frustração  e além de não ter aquilo que temos, ficamos infelizes e deprimidos. Complicado né?

Você se ama ou 
se odeia?



Pra quem ainda não viu o novo vídeo da Dove, vale a pena pra perceber como podemos distorcer a imagem que temos de nós mesmos, e de como os outros nos vêem. Enfim, um pouquinho de insatisfação é bom, e nos faz progredir, e buscar nossos sonhos, só não pode passar do ponto, porque aí vira frustração.


Beijos!!!! E SE AMEM! (além de amar, claro, o feriado dessa semana!)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Chatice nas redes sociais

D. Lunga dessa vez está revoltadíssima com o que vem acontecendo nas redes sociais. Pois é, pessoal, até na WEB é necessário ter compostura. Abaixo dicas URGENTES!

Um desses serviria pra muitas
pessoas nas redes sociais!
#1 Gente linda, coloquem uma coisa na cabecinha de vocês: quando você abre o Facebook e aparece "No que você está pensando?", isso não quer dizer que alguém está realmente interessado em saber disso. Ninguém quer saber se você está triste ou feliz, entende? Não precisa compartilhar tudo o que se passa na sua vida. Redes sociais servem pra espiar a vida alheia, não pra servir de diário nem terapia. Se vocês precisarem muuuuito expor o que vocês estão sentindo, exponham num e-mail endereçado ao seu melhor amigo, ou escrevam tudo num diário com chave. Acreditem: ninguém no Facebook quer realmente saber tudo o que se passa na sua vida, e quem quer saber, você deve contar sem expor a todos.

#2 Uma coisa que vejo muito nessas redes, e que enche muito meu saco (e de todo mundo), é aquele tal de "Se você ama seu pai curta essa foto", "Se você não é preconceituoso, compartilhe" "Se você não quer morrer com um tiro na testa, abra a foto, curta, compartilhe, e comente". Gente, isso enche o saco de qualquer ser divino, na "boua"! Não tem coisa pior do que essas coisas de "Curta ou morra!!!" Dá licença que eu compartilho se EU quiser, eu curto se EU quiser, e eu mando pro inferno se EU quiser! E se me arretar, deixo de seguir e bloqueio, porque EU quero!

Repreende!!! Tem gente que devia ser amarrado pra
não sair por aí publicando besteira nas redes sociais!
#3 Facebook e a Linha do Tempo não são lugares de compartilhar músicas nem passagens bíblicas. Se alguém quiser ler a letra da música, joga no Google e aparece, ou se for religioso, abre a Bíblia e pronto. Se vocês quiserem continuar com seus amiguinhos virtuais, parem de compartilhar isso. #ficadica 


#4 Eu sei que finais de relacionamentos são tristes, mas sério mesmo, ficar colocando "Todos os homens são galinhas" / "Só sofre por amor quem não tem dinheiro pra beber" / "Que se dane o mundo que ninguém presta" não vai melhorar a dor de cotovelo, apenas vai bloquear qualquer futuro relacionamento. Ninguém curte ler isso no perfil de alguém, e sinceramente tanta revolta assim vai afastar qualquer pessoa bem-intencionada. Amiguinhos, podem chorar, mas pleeeeease, não se exponham assim, quem mais vai sair de doido-psicopata-depressivo-angustiado-chifrudo são vocês! E lembrem-se que roupa suja se lava em casa, e por mais que você tenha "pintado seu cabelo e se valorizado", ninguém precisa saber.

#5 Uma rede social que eu adoro é o Instagram, e já falei isso por aqui. E sabem o porquê? Pois são figurinhas: adoro fotografia, mesmo que 100% amadora. Aí vem gente que chega e estraga esse "encanto" do Insta e começa a postar frases de reflexão, ou o que está sentido... Gente, Instagram é ótimo, mas tem certas coisas que você posta que só vão afugentar suas curtidas e seus seguidores. Não forcem, tá? É Unfollow na hora!

Meu sonho era uma opção assim! Quem curte?
#6 E a última: não, não queremos participar de nenhum jogo, e nenhum calendário, e nada desses aplicativos irritantes do Facebook. E segundo um amigo meu "só aturamos isso ainda porque não inventaram um botão de enfia essa solicitação no seu (píííííí)".

Beijos!!!






PS.: E se vocês não curtirem a fan-page do blog no Facebook, o seu computador vai explodir na sua frente, seus dedos irão cair e você vai ficar careca! kkkk

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Elas estão descontroladas!

Hello people!!!! Voltei aos posts normais! E vou começar falando sobre mulheres obsessivas, e suas loucuras por amor. 

Tudo surgiu de uma cena que eu vi na novela Salve Jorge, na qual Cláudia Raia (que é MÁ que dói), que está apaixonada por Téo ("O Astro"), se arrasta l.i.t.e.r.a.l.m.e.n.t.e no chão aos pés dele pra ele não deixá-la, e ainda fica implorando um beijo dele. Gente, cena altamente bizarra, e juro que se fosse amiga minha eu contratava alguém pra dar uma surra nela pra ela chorar com motivo! Bem, mas voltando à essa cena ridícula, Cláudia Raia, indignada porque "O Astro" foi embora, resolve se jogar l.i.t.e.r.a.l.m.e.n.t.e contra a parede, se arranhar toda, e denunciá-lo por agressão, seguindo à risca o ditado "Se não é meu, não vai ser de mais ninguém". Pois bem, isso mostrou claramente que ela perdeu a cabeça totalmente por ele. 
Sei que Téo foi O Astro na outra novela, mas acho que Glória Perez (a autora) ainda acha que ele tem super poderes, ou "bimba-de-ouro", pra ter deixado a mulherada nessa loucura toda. Mas enfim, novela é novela, que até um ser tão sem graça quanto Téo (e que não é "O Cara" nem aqui nem no inferno) consegue deixar as mulheres do elenco l.i.t.e.r.a.l.m.e.n.t.e loucas por eles. Mas o plano de Claudinha funcionou, pois ele agora está só e triste...

Outro caso de obsessão típica é a de Glenn Close em Atração Fatal. Esse filme é bem antiguinho, de 1987, e eu já tinha assistido quando era pequena. Mas aí assisti de novo esses dias, e agora que já sou "gente grande" entendi melhor o filme. Putz, muuuito bom! Logicamente é necessário desconsiderar o figurino e os cabelos, típicos dessa década infeliz pra moda, mas tirando isso o filme é super atual, e não duvido que existam mulheres loucas assim na vida real. Em resumo, um cara casado (Michael Douglas) cai em tentação e trai a esposa com Glenn Close (me pergunto, aliás, se ela era o máximo de loura fatal que podiam encontrar na época...será que não tinha ninguém melhorzinha não? Mas acho que Sharon Stone devia estar ocupada). Então ela endoida e persegue ele, a mulher dele, a filhinha dele e o coelho dele. Pra quem não viu e quer ver, se preparem pra cenas fortes, e se vocês tiverem muito afeto por coelhos, não assistam. 
Gente, na boa, o cara pra traçar essa daí
tem que ter coragem, viu!

Mas aí vem a questão: será que isso existe na vida real??? Sinceramente acho que sim, até pelas coisas que a gente vê na TV. Mas por outro lado, sabe que não achei de todo mal? Porque sinceramente, se todo homem que resolvesse trair a esposa, pegasse numa bomba dessas obcecada, duvido que eles traíssem tanto. Confesso que vendo o filme as vezes eu pensava "Bem feito!". Pelo que a galega ficou doida por Michael no filme, ele era "bimba-de-diamante". 

 
A hora do bote inicial

Outra coisa interessante é que sempre na ficção essas obsessões acontecem em casos passageiros. Depois de uma noite apenas, sabem? Nunca passa nada da esposa tão apaixonada pelo marido que é capaz de matar por ele. Será que é só com as amantes isso? Ou será que a ficção só pretende mostrar maridos viris, esposas frígidas e amantes loucas? Poxa, tô começando a ter pena dessas amantes, elas sempre se dão mal e morrem no final, e sempre são loucas e carentes. Mas só pra variar Hollywood podia fazer uma versão na qual o marido é brocha, e a esposa e a amante se apaixonam e terminam juntas e felizes. Só pra variar, seria interessante né? Daniela Mercury já começou...


Beijos!!!

domingo, 7 de abril de 2013

D.Lunga nas "Oropa": Londres!

E pra finalizar meus posts sobre turismo e minhas "miniférias", vou falar um pouquinho sobre minha experiência em Londres. Na verdade fui primeiro pra lá, passei 6 dias, e depois fui por 3 dias para Paris. Eu adoro as grandes cidades, e desde o início eu imaginava que ía me encantar muito mais por Londres, apesar de todo mundo dizer que Paris é muito mais isso e aquilo e blá blá blá...

Meu café no hotel: muito bom e me fez uma gordinha feliz! :P
Fiquei em um bairro um pouco afastado, chamado Kensington. O hotel era ótimo (London Visitors Hotel), o único problema é que dele para o metrô era uma caminhada de exatos 15 minutos, se não fosse o extremo frio, seria uma caminhada super agradável, já que o bairro é bem típico, com aquelas casinhas super estilo Bridget Jones. Ah! E falando nela, entendi tanto ela.... aliás, entendi ela e todos os obesinhos de "Você é o que você come"! Bairro lindo, limpo, típico, seguro....aaaaaahhhh, moraria fácil-fácil lá! O café da manhã também era uma delícia, e lá eles são viciados em Nutella, comem com tudo (Bridget Jones again!).

Piccadilly Circus
Portão do Palácio de Buckingham
Não resisti e tirei uma foto dessa menina que estava na mesma cápsula que eu: muito fofa!
A cidade é simplesmente o máximo! As pessoas são lindas! E as que não nasceram lindas, se tornam o máximo porque são estilosas! O frio era insuportável, muitas vezes queria ficar mais na rua passeando, ou tirar mais fotos, mas o frio me impedia, e nem a mão de dentro do bolso do casaco eu queria tirar, mesmo com luvas. O vento também piora tudo, e diferente dos outros lugares, você não consegue ver um único raio de sol, o que coloca a sensação térmica abaixo de 0º facinho!
O metrô, assim como o de Paris, também é complicado, e cheio de trocas de estações, mas em compensação é bem limpo. Você não vê pessoas pedindo dinheiro, no máximo vê artistas nos corredores trocando seus dotes de talento por moedas de euros. E por sinal esses artistas são muito talentosos, alguns me lembravam James Blunt. Muitos inclusive devem se apresentar nos metrôs também pra se promover, pois deixavam seus cartões de visita disponíveis para possíveis interessados em contratá-los. Engraçado que apesar de não ter lixeiras nos metrôs (para evitar ataques com bombas), eles são muito limpos. Os ingleses são muito educados.
Sobre valores, é tudo caro. Não vou enganar vocês, se preparem pra abrir as carteiras. Mas lógico que tem os locais de sonho. Tem uma rede de farmácias de lá, que é tipo um sonho realizado, a Boots. Ela tem várias promoções, que a cada 2 produtos o 3º sai de graça. Aí vale muito mais a pena que ir numa Sephora, porque na Boots tem quase tudo! Pra quem gosta muito de compras, recomendo dar uma paradinha em Lisboa, e ir no El Corte Ingles, uma loja de departamentos fantástica, que tem desde roupas a eletrônicos, além de oferecer um desconto de 10% aos turistas, e ainda permitir o Tax Free nas compras acima de 60 euros. Em Londres (e nem em Paris) tem essa moleza não!

Abaixo os top 5 de Londres, na minha opinião:


1º- London Eye- sem palavras, incrível! Vista espetacular da cidade! E mesmo se você tiver medo de altura, mas VÁ! Vale a pena! É pago, e pela internet você consegue desconto, mas tem meio que hora marcada. Como sou uma pessoa que ODEIA compromisso em viagem, preferi deixar pra comprar na hora, e é sem problema nenhum. A fila é imensa, mas anda muuuuito rápido! A cápsula é quentinha, mas senti um frio insuportável na fila. Antes de ir pra fila da London Eye, tem um vídro em 4D que a pessoa pode assistir, e meu conselho é que assista sim! É muito legal, e é rapidinho. Eu parecia uma piveta enlouquecida!

Uma das vistas (porque é em 360 graus)
Projeto de neve na coberta da fila!









____________________________________________________________

2º- Camden Town- É um bairro alternativo de lá, mas muito bacana. É a cara de Amy Winehouse, até porque ela viveu muito lá. Tem de tudo lá: uma loja enooorme só para Clubbers, outra pra Geeks, artigos em couro, roupas usadas, pirulito de cannabis.... Tem muitos quiosques de comidas bem diferentes, vale a pena comer por lá. Fica a margem de um rio, e tem uma parte que era um antigo estábulo de cavalos, o Stables Market. Nesse dia eu estava com muito, mas muito frio, a ponto de não sentir meus dedos (mesmo com luvas), e as lojas lá são abertas, então raramente eu podia entrar em algum lugar pra me esquentar (fazia muito isso lá, não vou mentir...).
Aí precisei ir no banheiro, que fica no subsolo dessa parte do estábulos, e juro que fiquei com medo, porque o bairro é muito alternativo, e eu também achei que ía ser pior que o banheiro do CAC (prédio da faculdade UFPE onde fiz arquitetura). Mas fui, e por incrível que pareça, assim que entrei senti um cheirinho de eucalipto pois a moça estava limpando! Gente, ele é impecavelmente limpo! E passei um tempão lavando a mão porque a água da torneira é quentinha! Me salvou demais essa banheiro, ainda esquentei minha luva no secador de mãos! kkkk
Confesso que lá tem muita coisa bacana, e queria muito ter tirado muitas fotos, mas o frio me atrapalhou muito, então tirei apenas umas poucas com o celular mesmo.
____________________________________________________________

3º- Os Pubs londrinos- Diferentes dos pubs daqui, os de lá são muito frequentados depois do trabalho, no final da tarde pra comecinho da noite. As pessoas podem ir só beber e ficar em pé conversando, ou sentar e comer. As comidas são muito boas, e bem típicas. De dia a maioria funciona como restaurante normal. Vale a pena experimentar o hambúrguer (bem tradicional nos pubs), o Fish and Chips (o famoso peixe frito com batatas fritas), a torta de carne e a costelinha. Sempre acompanhando tudo com cerveja, claro!
The Blackfriar, um dos mais antigos pubs de lá.
Atendimento bom, lugar bacana e pessoas bonitas!
Fui sem reservar mesa, estava bem cheio
mas foi tranquilo, mas cheguei umas 18:30hs





















Em sentido horário: Fish and Chips com Guiness; alguma coisa de porco;
a famosa torta de carne e o tradicional hamburguer
 ____________________________________________________________

4º- Charing Cross Road, a Rua dos sebos de livros, que fica em Chinatown- é um local bem legal, com várias livrarias, que vendem livros novos e usados. Tirei muitas fotos bacanas, porque o bairro é bem tradicional. Curti bastante! 




Comi lá num restaurante asiático, quis dar uma inovada.... mas não rolou....passei o resto do dia muuuuito enjoada :((( Antes eu tivesse ido numa das 800 Subway que tem lá, né?
 ____________________________________________________________

Tem os robozinhos de dinossauros lá,
muuuuito legal!
5º- Natural History Museum- esse museu é fantástico, mostra a evolução do homem, os dinossauros, os bichinhos, além de ter restaurantes, cafés, lojinhas e de quebra é LINDO! Só que mais uma vez eu estava com muito frio pra tirar fotos da parte externa....

Se você adora museus, pode separar quase um dia inteiro pra esse, porque vale a pena!

fotnte: http://openbuildings.com/buildings/
natural-history-museum-profile-6528#



____________________________________________________________

Ah! Uma dica extra: se você adora Shoppings, tem um Shopping lá, o Westfield London. É o melhor e mais lindo que eu já vi na vida. As lojas são boas (mas também tem as básicas), e o que mais me deixou encantada foi a arquitetura dele. Vale a pena ir nele só pra passear e comer na praça de alimentação (que também é linda). Ah! E nele tem uma Boots que é gigante!!! Você pode ir de metrô e descer na estação Shepherd´s Bush.

Outra dica é que toda Starbucks tem wifi grátis, aí você se cadastra uma vez e nas próximas ele entra automático.

E então, o que acharam? O post foi longo mas coloquei bastante fotinhos pra tentar passar um pouquinho de lá.

Beijos!!!







quarta-feira, 3 de abril de 2013

D.Lunga nas "Oropa": Paris!

Oi gente!!!! Voltei para vocês! Estava de férias por 10 dias, e por isso fiquei sem dar notícias por aqui, mas a parte boa é que eu voltei cheinha de assuntos (e cheinha de banha também, porque comi esses dias o equivalente a uma vida inteira!). Bem, fui a Londres e depois Paris. Todo mundo sabe que esse aqui NÃO é um blog de turismo, mas resolvi deixar aqui minha impressão sobre esses lugares. 

Vamos começar por Paris! Todo mundo está acostumado a escutar que Paris é linda, deslumbrante, apaixonante e blá blá blá. Mas ninguém fala o lado B de Paris. Ráaaa! É isso mesmo, Paris-cidade-luz-apaixonada não é tão perfeita como dizem (por essa vocês não esperavam, né?). 

Catedral de Notre-Dame 
Por exemplo, quem disse que Paris era a cidade dos amantes certamente não foi no inverno ou no começo da primavera, porque sinceramente, com um frio beirando 0 graus não existe muito romantismo... Minhas mãos, por mais que eu estivesse com luvas, não saíam de dentro dos meus bolsos, ou seja, não tinha como andar de mãos dadas... Se você não encara muito bem o frio e está louco pra ir a Paris (e isso se aplica a Londres também), deixe pra ir em junho, julho e agosto, que são os meses mais quentes. Mas aí se prepare que é também nessa época que a cidade mais "bomba"!




Logo no meu primeiro dia em Paris, vi lá da Champs Elysees a ponta da Torre Eiffel, e tive uma das maiores decepções de minha vida! Sério, juro que olhei e pensei: "É nisso que o povo baba tanto? Com essa torre de transmissão?"  No dia seguinte, após caminhar nas margens do Sena, me deparei com a Torre novamente, dessa vez um pouco maior. Aos poucos ela foi "crescendo", até que finalmente cheguei perto e consegui vê-la por completo. E aí sim, minha reação foi sentar no banco e chorar, não conseguia parar de olhar, de perto e por completo, ela é realmente fantástica. Confesso que fiquei bastante aliviada por ter gostado, pois estava quase com vergonha de voltar decepcionada com tal monumento! E aproveitando também, a Champs Elysees, para os que não conhecem, é a rua das marcas caras e super grifes. Vale a ida, porque tem lojas realmente fantásticas! Também tem lojas mais normais, não se preocupem! Marcas como Prada, Gucci, Dior e Channel dividem espaço com FNAC (amo!!!!!), Zara e até H&M!



Na Torre, confesso que desisti de subir nela, pois nenhuma Torre poderia ser tão fantástica assim pra me fazer esperar em pé, com frio e fome, por horas. Aliás, essa é outra coisa anti-romantismo: tudo tem filas intermináveis (também desisti de entrar na Catedral de Notre-Dame). Torre visitada por baixo, fotos tiradas, fui comer em algum dos muitos restaurantes lá perto, mas se liguem porque comer lá, mesmo que nas ruas próximas, é um assalto a mão armada! Comi numa das ruas paralelas, num restaurante bem mediano, quando fui ver meu chope tinha sido "apenas" 9 euros o copo, o equivalente a uns R$25,00! 

E sobre restaurantes: aqueles pratos lindos que a gente vê na TV, com mini porções, não existe, tá? Aliás, podem até existir naqueles restaurantes chiques de lá, mas para pessoas de classe média, não é assim. Comi bem normal lá. Os restaurantes não são aqueles Bistrôs romantiquinhos que a gente vê nos filmes. São restaurantes normais, com pessoas normais, geralmente bem apertados, e barulhentos. Alguns até bem charmosos, mas sempre lotados. As porções são bem servidas, de comidas normais e gostosas. Ainda no assunto comida, eu tinha vontade de comprar pães, queijos e vinhos e fazer um piquenique em algum parque, mas na boa: não dá. Pelo menos não em pelo menos 9 meses do ano, com o frio e vento gelado, é impossível! Uma coisa que achei o máximo é que nos mercados gourmet (tipo Galeries Lafayette), tem vários quiosques, que servem menus prontos, e você chega, senta rapidinho, toma uma taça de vinho, come e tchau. Mas com muito charme! Achei o máximo ver que depois do trabalho muitas pessoas vão simplesmente comprar algo nesses mercados, e resolvem fazer um lanchinho e tomar uma tacinha pra relaxar. Mas a dica é: "QUEM CONVERTE NÃO SE DIVERTE"




Acho que o grande defeito de Paris fica mesmo com as pessoas. Me desculpem os franceses, mas ôh povo chato! Não todos, mas em grande parte sim! Nisso os ingleses são um espetáculo! Com aquela língua deliciosa que é o inglês britânico, tratam todos muito bem! Já os franceses são grossos e tratam mal qualquer pessoa que fale francês com sotaque. Senti até um certo xenofobismo deles, sabe? Um amigo meu disse que se tivesse uma bomba que atingisse só as pessoas e deixasse a cidade, Paris seria perfeita. Ok, só pra constar: ele não é terrorista e estava brincando, tá? Mas foi engraçado! Hehe...



Uma coisa: fiquei triste de perceber que mesmo sendo um país bem rico, existe muita miséria e moradores de rua. Vi muita gente dormindo nos metrôs, num frio que doía... Ah! Falando em metrô, só Jesus salva! Pensem num metrô pra chorar de complicado. Para aqueles que têm produtos da Apple, tem um App que salva qualquer viagem: Paris Metro- Map and Route Planner (você diz onde está e para onde quer ir, e ele diz o trajeto em metrô com tempo e tudo, fantástico!). E também a cidade não é a mais limpa do mundo, o metrô é até bem sujinho.




Meu chope Guiness de 25 reais!
Tá vendo que os pratos são bem servidos?! :P

Coisas lindas das Patisseries. Aliás, mais lindas que gostosas...



5 Jotas, no Mercado Gourmet 



Dica: vá nos mercados e explore todas as
cores vivas que existem por lá!
Juro que até essas coisas naturais e
saudáveis lá têm outro sabor!
E a dica mais importante é que deve-se ter cuidado nos metros e pontos turísticos de Paris. Lá é cheio de golpistas, querendo ludibriar os pobres turistas. E nos metrôs sempre tem cartazes alertando para os ladrões de carteiras. Olho aberto, gente! Eu estava numa ponte conhecida de lá, e tentaram me passar um dos golpes mais conhecidos: uma senhora (parecendo cigana) vem e pega uma aliança no chão, tenta lhe convencer a ficar com ela porque é seu "dia de sorte", você aceita e depois ela volta e pede dinheiro. Em pouco menos de meia hora, fomos vítimas de duas tentativas! Imaginem quantos golpes eles dão por dia! E tem muitos outros golpes que fazem pra distrair os turistas. 

Bem, então em resumo: Paris é linda, e vale muito a pena, mas não é que nem La Vie en Rose como parece...

Fica a dica: para os apaixonados, é obrigatório colocar um cadeado
com o nome dos 2 nessa ponte e jogar a chave no rio! Fofo demais isso!!!
E vocês, já foram? Ou pretendem ir? Discordam de mim? Adoro críticas também, viu povo!

Beijos!!!!
:*







Tá me chamando de goooooorda!?!?!

Minha foto

Sou uma arquiteta metida a programadora visual, fotógrafa e conselheira amorosa. Filha única, cresci sendo amiga de muitos meninos, que eram como meus irmãos. Isso me fez ver a mente masculina de uma forma um pouco diferente...