terça-feira, 27 de novembro de 2012

Dona Lunga no Natal

Desde pequena, aliás, desde que descobri que Papai Noel não existe, não gosto do Natal. Ok, ok, coisa feia essa de uma criança só curtir uma data porque ficava ansiosa de um velhinho gordo e barbudo vestido de vermelho aparecer com aquele brinquedo que eu super queria!... Mas não vou enganar vocês, era exatamente isso que acontecia. Até que um dia fui desiludida pela minha própria mãe, que sem acreditar que eu ainda acreditava, me disse com todas as palavras: "Menina, deixa de ser besta, ele não existe!" Pois foi assim que aos 10 anos descobri a amarga verdade do Natal sem o Bom Velhinho...


Acho que desde então virei meio que Grinch, aquele monstrinho que odeia Natal, sabe? Arghhh! Sério, achava que só quem tinha tanto pavor dessa época era eu, mas descobri nos últimos meses que váaaarias pessoas não curtem! Confesso que fiquei feliz em saber que não sou a única D. Lunga nessa época. Alguns motivos para criar aversão a essa época:

# Músicas natalinas

Putz, pra mim isso é o pior: todo Shopping e toda grande loja fica desde novembro tocando aquelas músicas natalinas irritantes! E a PIOR de todas é aquela de Simone, que fala de Hiroshima e Nagasaki (se quiser ouvir é só clicar no vídeo aqui do lado). Quer dizer, pior ainda são aqueles pisca-pisca que tocam musiquinhas eletrônicas de Natal.... aqui em casa já teve um desses, tinha muita vontade de fazer que nem Didi nos Trapalhões e enfiar minha cara no forno com o gás aberto! Sinto muita pena das pessoas que trabalham nesses ambientes musicais, isso enfraquece um emprego! E mais bizarro são aqueles que colocam o toque do celular com musiquinha de Natal!



# Caixinhas de Natal

Isso também me irrita.... Em todo canto que você vai tem uma caixinha pra colaborar! Enche muito o saco! Pô, tá certo que todo mundo quer um dinheirinho extra, mas é muito chata essa pressão! E quando você não coloca nada, tem gente que ainda te olha de cara feia. S.A.C.O.!!!



# Lotação em Shoppings, bares e restaurantes, e o extremo consumismo

TUDO fica lotado nessa época do ano! As lojas ficam insuportáveis, com pessoas se debatendo pelos presentes de Natal, e os bares e restaurantes vivem cheios e com mesas imensas repletas de empresas confraternizando. Pra onde se olha tem Papai Noel, luzinhas, bolas coloridas!...

Aliás, o Natal teoricamente é uma festa cristã, mas na prática ninguém nem lembra disso. Isso também me irrita, pois virou uma data meramente comercial, onde o consumo desenfreado vem na frente de tudo. O sentido verdadeiro de união e irmandade foi pro beleléu, né?

Mas nem só de chatice vive essa época. Tem gente que ama ver a cidade toda enfeitada, inclusive minha mãe, que tem como principal adoração da vida dela uma árvore de 2,00m que ela me fez trazer da Disney pois aqui no Brasil ainda não vendia na época (será que meu trauma vem daí?). Ela aguarda ansiosa o mês de novembro pra armar a árvore dela, vai nas lojas ver as novidades de enfeites....um verdadeiro ritual! As comidas natalinas também fazem bastante sucesso, e muita gente enfia o pé na jaca (ou melhor, no peru), nessa época! Também é uma boa época para reunir parentes que moram distante. Ah! Suuuper curto o especial de Natal da Globo de Roberto Carlos: sempre choro horrores! #anne-sensível


Poxa, adoro ele de verdade!!!
E essa aí do lado é sim: a árvore de Natal da minha mãe esse ano!
















Então vamos fazer o seguinte: gostando ou não dessa data, devemos todos fazer uma reflexão, e vermos o que realmente importa. Perdoar os erros alheios também é uma boa pedida, e pedir perdão pelas nossas besteiras idem! Não curto a época, acho um saco tudo, mas não custa nada tentar tirar alguma coisa boa de tudo, né? Começar a fazer caridade é uma ótima maneira de tentar dar um novo sentido a essa época, concordam? Só não dá pra fazer só no Natal e esquecer dos outros 11 meses do ano! #ficadica 
Ficou inspirado em ajudar? Clica aqui: Novo Jeito- ONG em Pernambuco

E vocês, o que pensam dessa época? 
HO HO HO

Beijos!!!
:*
:*
:*





Tá me chamando de goooooorda!?!?!

Minha foto

Sou uma arquiteta metida a programadora visual, fotógrafa e conselheira amorosa. Filha única, cresci sendo amiga de muitos meninos, que eram como meus irmãos. Isso me fez ver a mente masculina de uma forma um pouco diferente...