segunda-feira, 6 de agosto de 2012

E lá vem mais chifre!

Pois é, agora assunto é mais delicado... Depois da polêmica da traição em namoros, venho falar agora da traição nos casamentos. Ai gente, essa é complicada dicumforça! Já deixei bem claro que odeio traição, e acho que quem trai é fraco e desonesto, mas tem casos e CASOS...



Em casamento é tudo mais complicado: quando a pessoa quer se separar, tem que procurar advogado, dividir os bens (e muitas vezes brigar por eles), tem os filhos, a guarda deles, procurar um novo local pra morar, pensão..... é complicado mesmo. A pessoa traída escolhe se perdoa ou não, e se escolheu dar uma nova chance, por favor encare isso de coração!

Mas aí vem a questão: por que se trái no casamento? Ok, muitas vezes (a maioria delas, acredito), por safadeza mesmo: não consegue segurar o fogo, aí sai queimando tudo, inclusive a própria moral. Mas às vezes a coisa é mais além...

Vou focar mais nessa parte, das outras questões pra se trair, que não são apenas pela safadeza. Um relacionamento, pra dar certo, precisa da dedicação das 2 pessoas envolvidas, seja este um casal homo ou hétero. O casal deve estar disposto a abdicar de certas coisas pra fazer aquilo dar certo. Mas muitas vezes o tempo, a rotina, fazem com que o casal se afaste aos poucos, e de pouquinho em pouquinho a vida a 2 vai ficando cada vez mais lá atrás. Acontece também de ambições e sonhos diferentes, por exemplo: um dos 2 quer ter uma condição social legal, pra viajar pelo menos 1x/ano pro exterior, ter um carro bacana, apartamento legal, e pra isso trabalha horrores, enquanto o outro só precisa do mínimo, não faz questão de luxo e fica feliz em ir nas férias pro Beach Park. Esse relacionamento, com o tempo, vai se desgastando, porque os desejos são muito diferentes: um nunca vai entender pra quê o outro trabalha tanto, e por aí vai... E aí chega o ponto em que a distância aumenta, o único papo que têm juntos são os filhos e as contas pra pagar. A companhia um do outro não é mais tão essencial, e em algum momento um dos dois vai acabar conhecendo alguém disposto a dar o carinho que não está mais recebendo em casa: traição a vista! Tem como julgar tanto uma pessoa dessas? Sério mesmo, tenho minhas dúvidas, sabe. 



É muito delicado julgar nesses casos, porque não é tão simples como acabar um namoro. A pessoa até tenta  melhorar a relação, conversa, e muitas vezes em vão. Mas aí tem os laços que os mantêm unidos. Não é mandar se lascar e pronto. Às vezes acontece mesmo, por fraqueza, carência... e nesse caso vale a pena perdoar?

Ai....não sei, e tenho muito medo de me colocar numa situação assim. Não sei realmente se vale a pena jogar tudo pro alto e acabar um relacionamento por uma traição, um deslize, que muitas vezes é culpa do casal em si, que deixou chegar nesse ponto. Quero dizer que nem sempre quem trai é o único culpado. A mente humana é muito complexa, e os sentimentos mais ainda. Por mais que a razão mande ser fiel pro resto da vida, existem fatores que mudam esse conceito, e cada caso é um caso. 


Fazendo uma relação realidade X ficção, vou citar o caso da Sinhazinha (Maitê Proença) de Gabriela. Ela é casada com o Coronel, que não dá nem nunca deu um tico de amor a ela. Ele a trata como um de seus bois, como sua propriedade. Aí eis que a Sinhazinha encontra o Medicuzinho, todo bonzinho, carinhoso, lindo e cheio de amor pra dar. Alguém recrimina a traição dela? Duvido!!! Sabe por que? Porque ela realmente traiu por amor, e por carência de ser casada e não ter o amor do marido. E é um caso em que, se ela fosse pedir divórcio, o Coronel tacava bala nela (se bem que ela vai levar bala de todo jeito).

Finalizando, acho que quando acontece a infidelidade num casamento, o casal deve conversar abertamente, ouvir o outro lado, entender porque chegou a esse ponto. Muitas vezes uma conversa assim, e admitir que também erramos, ajuda num futuro mais unido pro casal, e numa reconciliação. Se a conclusão que chegaram JUNTOS for de que ainda vale a pena insistir, de que o amor não acabou, então se joga e tente ser feliz! Mas pra isso é colocar uma pedra no passado, não ficar remoendo a gaia pro resto da vida, além de um compromisso da pessoa que trai de não repetir mais, concordam?

Beijos!
*
*
*

Tá me chamando de goooooorda!?!?!

Minha foto

Sou uma arquiteta metida a programadora visual, fotógrafa e conselheira amorosa. Filha única, cresci sendo amiga de muitos meninos, que eram como meus irmãos. Isso me fez ver a mente masculina de uma forma um pouco diferente...