quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Um tapete voador, por favor

Oi pessoal! Imagino que a maioria deve estar numa mega ressaca pós carnaval, né? Eu estou tranquila, minha folia foi em casa com meu controle remoto... sou do tipo que AMA carnaval! Bem , que AMA o feriado do carnaval :)



Mas enfim, precisava postar aqui sobre um acontecimento ocorrido nesse carnaval. Não sei se todos viram (provavelmente a maioria estava mito embriagada pra ver kkkk), mas teve um casal em BH que saiu fantasiado de Aladim e Princesa, e fantasiaram seu filhinho de Abu (macaquinho e melhor amigo de Aladim). Pois bem, essa foto deu muito o que falar. Foi gente defendendo o menino, dizendo que isso era preconceito, racismo, que estavam comparando o menino a um macaco..., encheu as redes sociais de puro preconceito e críticas.

Pois bem, eu precisava expor minha opinião, e eu só tenho uma coisa a dizer: que mundo chato é esse que a gente vive? Esse casal adotou esse menino, que estava feliz da vida em participar do carnaval junto com os pais, que por sua vez estavam orgulhosos de estarem todos fantasiados e juntos. Óooooooobvio que em nenhum momento o casal teve intenção de fazer algo pra prejudicar o próprio filho! Que mundo chato!!!! Não se pode fazer nada que sempre vem alguém cheio de mimimi querendo usar direitos humanos e ética pra recriminar alguma coisa. Deve existir ética sim, pra várias outras coisas, mas me desculpem que nesse caso não precisa (pra político corrupto é que ética não existe mesmo, né?).

Acho que existe muito racismo sim, do mesmo jeito que ainda existe muito preconceito com tantas outras coisas que não ficam dentro daquele convencional: gays, gordos, gagos..... E o mundo é assim, e desde a infância já existe bullying, porque o ser humano pode ser cruel desde pequeno. E quando está tudo dentro de uma "normalidade", ainda vão encontrar alguma coisa pra falar: seja o tamanho do peito, o tipo de tênis, o aparelho nos dentes, o nome da pessoa.... 



Mas esse caso de BH não mostra nenhum preconceito, muito menos racismo. Imagino como esses pais devem estar arrependidos de ter usado essa fantasia. Engraçado que o racismo veio exatamente das pessoas que viram maldade nisso, acusando os pais de racismo. Pois é, a maldade está nos olhos de quem vê e aponta. Sempre assim. Mundo chato, dá nem pra brincar mais..... Será que tem vaga no tapete voador pra eu fugir pra bem longe daqui?





E a resposta do pai, Fernando Bustamante, ao caso:

"Amigos de facebook... jamais imaginava tamanha repercussão 
diante das fantasias escolhidas para o Carnaval ontem. 
Peço que compartilhem a mensagem a seguir em todas as páginas 
que publicaram uma mensagem tão descontextualizada da realidade. 
Realmente o meu filho Mateus vai me ensinar muito como nos 
blindarmos do preconceito na cabeça das pessoas. 
Sou artista, de teatro, e sempre acreditei na diversidade, na igualdade entre as pessoas. 
Luto por isso e aplico isso na minha vida pessoal e profissional. 
Sou casado e o Mateus é o meu primeiro filho (já estamos novamente na 
fila da adoção porque ele está ansioso por um irmãozinho do coração). 
Gostaria de pedir desculpas para aqueles que sentiram ofendidos 
com a nossa fantasia Jamais foi a nossa intenção. 
Peço que leiam a postagem do meu amigo Joubert Oliveira,que é 
testemunha da minha trajetória como artista e pai. 
Somos uma família muito feliz e me sinto cada vez mais humano 
compartilhando a vida com o pequeno Mateus. 
Hoje ele desfilou de Pequeno Príncipe e vou aproveitar uma frase desse 
personagem para expressar o meu sentimento ao ver essa postagem nesse fim de tarde : 
"Só se vê de verdade com o coração... o essencial é invisível aos olhos!" 
Muitos podem ver um macaco na fantasia de ontem. 
Eu vejo o melhor amigo do Aladdin, que vai conhecer o Mundo Ideal com ele e a Jasmine. 
Sem preconceitos e com muito, mas muito amor. 
Viva a diversidade! Em busca de um mundo ideal ‪#‎ummundoideal‬"

E vocês, o que acham?

Beijos, beijos, beijos! 


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Deixem o sutiã em paz!!!

Outro dia estava almoçando com umas amigas minhas, e aí vem sempre aquele assunto de "Menina, tô morta..."; "Rapaz, que semana de corno"; "Ai....não vejo a hora de dormir o final de semana inteiro"... Lamentações de uma sexta-feira numa semana atribulada, sabem? Aí papo vai, papo vem, e chegamos a uma conclusão:

Pra quê inventaram de queimar os malditos sutiãs?????


Pois bem, explicando: há alguns anos atrás, nós mulheres não tínhamos direito a quase nada. Nossa função era basicamente servir ao marido e cuidar da casa e dos filhos. Aí vieram mulheres vanguardistas e libertadoras dessa opressão, queimaram uns sutiãs em praça pública, e depois de um tempo já podemos votar, trabalhar, ser até presidAntas (hehehe).

Mas aí a mulher, coitada, ficou cheia de obrigações: tem que cuidar da casa, cuidar dos filhos, dar atenção pro marido, trabalhar fora.... Aí chega a sexta-feira e fica tudim assim: mooorta! 

Ok, foi tudo muito válido e louvável, os direitos conquistados são maravilhosos, e alcançamos o poder da independência. Mas todo bônus tem um ônus.....

Com toda essa coisa de direitos iguais, as mulheres trabalham tanto quanto os homens, e a renda delas é cada vez mais essencial nas casas. Duvido que nunca nenhuma mulher tenha desejado, mesmo que só por um diazinho, voltar a ser aquela boa e velha Amélia do lar.... Imagina aí, passar o dia cuidando da casa, deixando tudo limpinho e cheiroso, cozinhar aquela comidinha caseira, criar os filhos de perto e ajudá-los na lição de casa.... Tem muito benefício nisso, né? Não estou levantando nenhuma bandeira machista, que fique bem claro, gente!

Expectativa: ser a Amélia perfeita como
Betty da série Mad Men na década de 60
Casei há pouco mais de 1 ano, e em novembro passado tirei 1 semana de férias pra "descansar" em casa, sem viajar. Meu marido continuou trabalhando normal. Daí pensei: "oba! 1 semana sem fazer nada, vou dormir até tarde, ver todas as minhas séries no Netflix, passear no shopping, fazer hidratação no cabelo, etc..." Ou seja, zilhões de planos! Essa era minha expectativa. Minha realidade?
Acordei cedo todos os dias, arrumei casa, fiz feira, fiz almoço diariamente (comida saudável), arrumei armário..... e 0% Netflix, 0% dondoquice, 0% descansar. Conclusão: ser Amélia dá uma canseira!...
 
Realidade....

Pois bem, as mulheres hoje estão muito bem com tudo isso. Infelizmente têm que contratar pessoas pra cuidar dos seus filhos, e essas pessoas deixam de estar com seus filhos... Mulheres hoje racham as contas, fazem turnos no trabalho, na casa, votam.... E o cavalheirismo? Na maioria dos casos, foi pro beleléu. Mas homens, um recado: mulher pode ser independente, ter carreira e dinheiro, mas todas adoram ser tratadas como princesas e com delicadeza e cavalheirismo, porque os tempos podem ser modernos, mas as mulheres serão sempre....mulheres.

domingo, 27 de dezembro de 2015

Papai Noel?

Ho Ho Ho
Fonte: http://www.freakingnews.com
Há 3 anos fiz um post sobre como detesto o Natal (se quiser relembrar, clique aqui). Continuo não gostando. Isso não mudou. Acho que as pessoas não percebem o verdadeiro sentido do Natal, e o capitalismo tomou conta, e é só consumismo, e blá blá blá. Bem, mas como a cri$e do país tá feia, um consumismo vai até cair bem, né?

O inferno nos shoppings....

Até que a vida coloca um fato novo na nossa frente: semana passada, uma amiga minha comentou que a diretora do colégio da filha dela mandou uma mensagem pro grupo das mães do Whatsapp, informando que na véspera de Natal, dia 24, estaria distribuindo comida para os desabrigados, caso alguém quisesse ajudar. E fiquei pensando nisso desde então. Que lindo.... isso sim é espírito de Natal. Essa mulher tem família, amigos, filhos, mas quis passar a noite de Natal dela sendo o verdadeiro Papai Noel de outras pessoas. Gestos assim me fazem acreditar nas pessoas, e acreditar no Natal. Somos tão centrados em nós mesmos, que não percebemos como é fácil ajudar os outros... Uma outra amiga minha se junta com a família dela que é do interior daqui (Arcoverde), e fazem umas cestas básicas e de doces pras crianças carentes da cidade que trabalham no lixão de lá. Esse ano conseguiram ajudar 83 famílias a terem um Natal mais humano. São coisas tão, mas tão lindas, que enchem de amor qualquer coração (até os de pedra)!

Esperança nos olhos dessas crianças de Arcoverde
Provando que Papai Noel existe lá em Arcoverde
Uma das 83 famílias de Arcoverde
 recebendo amor e esperança
Trabalho lindo do www.novojeito.com, que sempre
 tem ações para ajudar os que mais precisam.
@novojeito
Foto cheia de sorrisos e esperança numa das
 campanhas do Novo Jeito: #MaisPão

Trabalho lindo com velhinhos: www.abrigocristoredentor.org.br.
Um asilo que cuida de idosos carentes e
 vive de doações de dinheiro e de amor.
Coisa mais fofa a campanha dos Correios, que todos os anos faz a felicidade de tantas
criancinhas carentes. Tem uns pedidos que são de cortar o coração...

Tenho um pensamento de que só vou evoluir como pessoa, e me tornar uma boa alma, quando eu começar a fazer trabalho comunitário em asilos. Quando eu conseguir fazer isso, de visitar os velhinhos carentes, vou ser uma alma evoluída. Não, não faço ainda. Por enquanto ajudo apenas financeiramente um asilo daqui da minha cidade. Isso já me faz muito bem, e dou de todo coração, mas ainda não é tudo o que eu posso dar. Um dia eu vou ser voluntária, e aí sim a boa ação será completa. Por enquanto acho que ainda não consigo, com certeza ficaria deprimida, e não tenho paciência..... mas um dia terei, na hora certa de evoluir. E todo tipo de ajuda é bem vinda.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 

Ok, mas aí voltamos pro fato de que não gosto de Natal, porque o sentido real dele já foi pro beleléu.... Com certeza o que mais odeio de tudo (e já falei isso, mas preciso repetir), são as malditas Caixinhas de Natal! Outro dia eu estava na Salad Creations, e quando a moça que estava na minha frente foi pagar, em dinheiro, a moça do caixa perguntou se ela não queria aproveitar e colaborar com a caixinha de Natal de lá. Poxa! A cliente tinha acabado de receber uns 30 reais todo trocadinho....aí a pessoa se sente coagida a colaborar! Isso me tira do sério!!!! Não tive dúvidas: eu ía pagar em dinheiro, mas guardei na mesma hora e passei o cartão. Pelo menos assim ninguém fica de olho no meu "trocadinho"! Aliás, nessa época pago tudo com cartão, exatamente pra evitar isso. Pra onde se olha é caixinha de Natal! Acho que vou colocar uma aqui no Blog: "Por favor, ao final da leitura colaborem pelo PayPal com uma doação pra eu poder comprar um chocotone"...


E vocês, fazem alguma boa ação pelo próximo?
Beijos e Feliz Ano Novo a todos (iupiiii, não preciso mais desejar Feliz Natal)!!!! 
E que no novo ano possamos ser Papais Noéis o ano todo!



sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Um caso de amor...só com você!

Gente, seguinte: vou confessar que por pouco não desisti do blog. Passei mais de ano sem publicar nada numa junção de falta de tempo e paciência. De verdade eu achava que ninguém entrava pra ler. Aí certo dia recebo um e-mail de uma menina (que não conheço) sobre uma traição da qual ela passou. Junto a isso, sempre via curtidas de pessoas que também não conheço lá na página do blog no Facebook. E quando resolvi entrar, percebi que tinham alguns comentários novos num post, e muitas curtidas nesse tempo que passei sem acessar. Eu fiquei tão, mas tão feliz com isso! Muito obrigada a vocês que entram aqui, nem que seja por curiosidade. Confesso que isso me deu um ânimo novo, e já renovei a anuidade do endereço do blog. Obrigada mesmo!!!

Mas bem, o que eu percebi é que o post mais acessado, disparado, é o Qual o pior castigo pra traição?. Genteeeee, como assim???? Então isso só prova que em pleno século XXI as pessoas continuam traindo sem escrúpulos (e na maioria das vezes sem motivos). Eu acho isso tão surreal, tão desnecessário. Poxa, se a pessoa não quer mais, melhor dar tchau e seguir o rumo, né?


Eu tô viciada na série MAD MEN, que se passa no comecinho da década de 60, e mostra bem como a sociedade era extremamente machista naquela época, e em como a infidelidade era tão banalizada. Engraçado que mais de 50 anos se passaram, e até hoje a infidelidade é tão comum. 

Aí vem a pergunta que não quer calar: "Por que os homens (e mulheres) traem?". Alguém aí sabe a resposta? Se souber, saiba que vai ganhar milhões com essa informação. Sei que adolescentes (princialmente os meninos), traem muito por "fogo" e simplesmente pela facilidade de "ciscar" em outros galinheiros. Mas penso se depois que passa esse boom hormonal, ainda se justificaria alguma traição. Antigamente ainda tinha aquela coisa de que "traio porque minha mulher não faz em casa". Mas sério que esse papo ainda rola? Porque o que eu vejo cada vez mais são as mulheres casadas e comprometidas ousando mais nas relações, e não apenas para fazerem seus homens felizes, mas também pela felicidade da Deusa Interior delas (50 Tons feelings).

Teve um comentário no post original, que a menina disse que meu conselho de vingança foi o melhor. E sinceramente, ele foi o mais simples conselho que se poderia dar: ame-se. Não apenas quando a traição já aconteceu, mas devemos nos amar em 1º lugar, pra depois amarmos seja lá quem for. Muitos homens aí são uns babacas machistas fdp que ficam colocando suas mulheres pra baixo, usando os pontos fracos delas pra deixá-las fragilizadas. Isso tá muito errado!!!! O grande problema da relação, nesses casos, não são os defeitos da mulher, mas sim o homem como um todo. Nesse caso, o conselho é: se amou e viu que o traste ao seu lado não estava à sua altura? Parte pra outra, amiga, com certeza nesse mundo enorme alguém vai te valorizar e te tratar como você merece. E se demorar pra encontrar esse alguém, vai se amando e se curtindo cada vez mais, pra se orgulhar cada vez mais da mulher que você é e do que você conquistou!

 

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Galinhas e bois

Oi gente! Sumi sim, mas tô vivaaaaaa! E vim falar com vocês sobre um tema que vai e vem sempre está na minha rodinha de amigas: direitos das mulheres. Não é minha intenção, e muito menos aqui no blog, ficar com aquele papo chato sobre feminismo, longe de mim isso, mas esse assunto sempre gera muita polêmica, e isso sim eu gosto!



Por anos e anos e mais anos, as mulheres foram oprimidas, né? Daí veio aquela guerra ao sutiã, que gerou um monte de coisa, e o resultado é que hoje ficamos quase que de "igual pra igual" com os homens. Vejam bem, QUASE. Porque vamos combinar que ainda não está lá muito igual. Tenho uma amiga, a T*, que com certeza é a pessoa que eu conheço mais inconformada com as diferenças sociais entre homens e mulheres. Ela é bastante independente, e luta (apenas no seu círculo de amizades, sem revoltas populares) por colocar na cabeça das pessoas o quanto a sociedade é machista. 

Concordo T*, você está certa sim... Homens que já pegaram muitas mulheres, são conhecidos por serem pegadores (e disputadíssimos, diga-se de passagem). Já nós, mulheres, somos taxadas de quengas. É lasca isso... Tem todo tipo de preconceito: tem gente que critica mulher que bebe, que fuma, que fo@%..., tudo tem um peso muito maior nas mulheres. A sociedade é sempre mais receptiva aos homens, que além de tudo geralmente ganham mais nos mesmo cargos das mulheres. 

Daí eu estava vendo o Discovery (sim, sou nerd, adoro, me julguem), e estava passando um documentário sobre poligamia. E tem também um programinha da GNT que é sobre "tri-casais". O que eles têm em comum? Uma sociedade que aceita "de boa" 2 mulheres/ homem, mas que renega 2 homens/ mulher. Alôooooow? Por que pode um e não pode o outro? Aquele Mr.Catra mesmo, que tem umas 365 mulheres e uns 500 filhos??? Como assim tem mulher que se sujeita a isso???????? 

Daí em devaneios sociais num jantar a base de vinho, chegou a explicação para essa orgia ser aceita só pelos homens... Eu nunca tinha parado pra pensar em como surgiu isso na sociedade... Mas vamos lá, vou tentar explicar a conclusão a que chegamos: o principal objetivo histórico e biológico do sexo é procriar; portanto um homem pode engravidar mais de uma mulher por vez, sem problemas, porém cada mulher, se muito fértil, só consegue ter 1 gestação por ano. Com isso, entende-se que lá desde os primórdios da civilização aceita-se homens com várias mulheres, porque é uma forma de procriar mais (porque realmente o planeta tem pouca gente, né?). Portanto, somos igualados então a uma fazenda com várias vacas e um único boi, ou a um galinheiro cheio de galinhas que só precisa de 1 único galo. Evolução, hein? #sqn

Daí vi uma frase hoje muito legal, e que vai muito bem pra fechar esse post: 

"A melhor coisa no amor é fazer amor, pena que para isso se precise de um homem!" 
Coco Chanel

Tá me chamando de goooooorda!?!?!

Minha foto

Sou uma arquiteta metida a programadora visual, fotógrafa e conselheira amorosa. Filha única, cresci sendo amiga de muitos meninos, que eram como meus irmãos. Isso me fez ver a mente masculina de uma forma um pouco diferente...